Paulo Guedes compara funcionário público a 'parasita' ao defender reforma administrativa

Teste de Espaço de Anúncio
Paulo Guedes em evento no Rio de Janeiro nesta sexta-feira (7) — Foto: Reprodução
Paulo Guedes em evento no Rio de Janeiro nesta sexta-feira (7) — Foto: Reprodução
O ministro da Economia, Paulo Guedes, comparou funcionários públicos a "parasitas" ao comentar, nesta sexta-feira (7), as reformas administrativas pretendidas pelo governo federal. Segundo ele, as propostas referentes ao tema serão enviadas ao Congresso na próxima semana.

Guedes criticou o reajuste anual dos salários dos servidores que, segundo ele, já têm como privilégio a estabilidade no emprego e "aposentadoria generosa". O ministro argumentou que a máquina pública, nas três esferas de governo, não se sustenta financeiramente por questões fiscais e, por isso, a carreira do funcionalismo precisa ser revista.


"O hospedeiro está morrendo, o cara virou um parasita, o dinheiro não chega no povo e ele quer aumento automático", declarou.
A declaração foi dada pelo ministro em palestra na Escola Brasileira de Economia e Finanças da Fundação Getúlio Vargas (FGV EPGE) no encerramento de um seminário sobre o Pacto Federativo.

Segundo o ministro, sua crítica é compartilhada pelos brasileiros. "A população não quer isso [reajuste automático do funcionalismo público]. 88% da população brasileira é a favor, inclusive, de demissão no funcionalismo público", disse.

Paulo Guedes se referiu a uma pesquisa Datafolha, divulgada em janeiro, que apontava que, para 88% dos entrevistados, o funcionário público que não faz um bom serviço deve ser demitido.

"Nos Estados Unidos ficam quatro, cinco anos sem dar reajuste e quando dá todo mundo fica 'oh, muito obrigado'. Aqui o cara é obrigado a dar [reajuste] porque está carimbado e ainda leva xingamento, ovo, não pode andar de avião", continuou o ministro.
Guedes afirmou que o texto da reforma administrativa será apresentado na próxima semana à Câmara dos Deputados. Segundo ele, é grande a expectativa do governo de rápida tramitação.

"O clima no Congresso é extremamente favorável [à reforma administrativa], ao contrário do nosso clima no ano passado quando nós chegamos com a Reforma da Previdência", disse.

Já a reforma tributária, que está sendo desenhada pelo Executivo, "é um pouco mais complexa", segundo o ministro. Ele destacou que ela deverá ser apresentada a um comitê conjunto, formado entre Câmara e Senado.

Por Daniel Silveira, G1 

3 comentários:

  1. O ministro mais competente do mundo. Funcionário Público é parasita mesmo. Ex: Bolsonaro viveu a vida inteira de funcionário público e fez pouca coisa. Tem toda razão! Ainda, uns dos minions é encostado da PRF. Ainda, o B171 se aposentou com 30 anos. Isso é ser parasita mesmo! Tem toda a razão!

    ResponderExcluir
  2. Os educadores do CMBH, entre 1961 e 1967 eram parasitas? Os professores da Universidade Federal de Minas Gerais eram parasitas? Os servidores da FGV são parasitas? Os militares, a elite componente do governo Bolsonaro são parasitas? Não entendi. O cara se sustenta desde a juventude em escola pública e depois chama professores, servidores de parasitas e vagabundos! Esse é o governo Bolsonaro.

    ResponderExcluir
  3. Nós defendemos o Governo BOLSONARO, mas desta vez o Ministro Paulo Guedes, foi infeliz. A maioria dos servidores públicos, ganham em média 5 salários mínimos, e trabalham muito, cumprem com seu horário e são fundamentais para a sociedade.. podemos citar, algumas categorias que se enquadram nesta faixa salarial.. professores, policiais, servidores da saúde, bombeiros,..
    Quem ganha altos salários e detém diversas mordomias são os políticos, juízes, promotores, desembargadores, servidores comissionados nos três poderes.. alguns destes.. ganham R$ 30/50/200 mil
    Portanto Ministro, vamos respeitar a grande maioria dos servidores públicos concursados e competentes que trabalham muito e ganham um PÉSSIMO salário !!

    Santana Jornalista / Bacharel em Ciência Política
    pmbnoticias.com

    ResponderExcluir

Todos os recados postados neste mural são de inteira responsabilidade do autor, os recados que não estiverem de acordo com as normas de éticas serão vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros.

Tecnologia do Blogger.