LAMBARI: TRE-MT cassa mandato de prefeito e vice de por compra de votos

Teste de Espaço de Anúncio
Edvaldo Alves dos Santos e Zaqueu Batista de Oliveira
Edvaldo Alves dos Santos e vice Zaqueu Batista de Oliveira, foram eleitos comentendo crime eleitoral, aponta TRE
O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT) cassou, por unanimidade, os mandatos do prefeito de Lambari D’Oeste, Edvaldo Alves dos Santos (PSB), e seu vice, Zaqueu Batista de Oliveira (PL). Eles são acusados pelo Ministério Público Eleitoral de compra de votos durante as eleições de 2016.

A denúncia se baseou em um vídeo que mostraria um representante da campanha de Edvaldo autorizando o abastecimento de diversos veículos no município durante o período eleitoral. O juiz eleitoral de 1ª instância, após ouvir as pessoas gravadas no vídeo e outras testemunhas, negou o pedido de cassação afirmando que não haveria “prova segura” da ocorrência do abuso.

O Ministério Público recorreu ao Pleno do TRE-MT, que julgou o caso nesta terça (2). O órgão alega que teria ocorrido um caso de abuso de poder econômico por parte de Edvaldo e Zaqueu ao supostamente comprar votos em troca do combustível.

Os dois foram eleitos com 1.410 votos, ou 38,10% dos votos válidos. Em depoimento, o prefeito afirmou que abastecia seu carro particular e também para carros de som e ônibus da campanha eleitoral. Pelo menos uma pessoa confirmou que teria abastecido seu veículo, mas alegou que trabalhava para a campanha. No total, R$ 11 mil teriam sido gastos em apenas um posto de combustíveis.

Edvaldo e Zaqueu ainda podem entrar com embargos de declaração contra a decisão. A cassação só passa a valer caso a decisão desta terça for mantida no recurso. Se isso acontecer, o TRE-MT deve convocar novas eleições em Lambari D’Oeste.

Fonte: Mikhail Favalessa


Por portaldapoliticamt 

Nenhum comentário:

Todos os recados postados neste mural são de inteira responsabilidade do autor, os recados que não estiverem de acordo com as normas de éticas serão vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros.

Tecnologia do Blogger.