Bebê tem a garganta cortada por linha encerada com vidro, no Pará

Teste de Espaço de Anúncio
cerol menina concórdia do pará resgate (Foto: Elivaldo Pamplona/ O Liberal)
Criança foi resgatada de helicóptero e trazida para o Hospital Metropolitano. (Foto: Elivaldo Pamplona/ O Liberal)
Um bebê de aproximadamente dois anos teve a garganta gravemente cortada por uma linha encerada com cola e pó de vidro, usada na brincadeira de pipa. O acidente ocorreu na quarta-feira (5), em Concórdia do Pará, nordeste do estado, quando a criança andava de moto acompanhada de duas tias.  A linha cortou a veia jugular da vítima. Devido a profundidade do corte, ela precisou ser transferida de helicóptero para Belém. A menina está internada em estado grave.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o resgate foi realizado no final da manhã. A equipe de emergência presotu os primeiros socorros, e a criança foi encaminhada para o Hospital Metropolitano, em Ananindeua, na Grande Belém.

Segundo os bombeiros, a menina veio acompanhada da mãe, que informou que o acidente ocorreu por volta de meio dia, quando a criança estava na moto com as tias. A linha encerada atingiu apenas a menina, e provocou um corte profundo na garganta. "A criança estava em cima no tanque da moto, na frente das tias. Como a moto não tinha a antena, que poderia ter contido a linha encerada, a menina foi atingida e teve um profundo corte na garganta", conta o major Alessandro Zell, do Grupamento Aéreo de Segurança Pública do Pará (Graesp).

A criança foi levada para o Hospital de Concórdia do Pará. Na intervenção, os médicos conseguiram bombear o sangue para o coração, impedindo a morte da criança. A equipe de urgência do Corpo de Bombeiros realizou o resgate aéreo. O voo durou 25 minutos e aterrissou no viaduto de Ananindeua.

De acordo com o Hospital Metropolitano, o corte provocado pela linha atingiu a veia jugular da menina, que passou por cirurgia e está internada da Unidade de Terapia Intensiva (UTI). A criança respira com a ajuda de aparelhos. O quadro de saúde é grave, mas estável.
resgate menina cerol concórdia do pará (Foto: Elivaldo Pamplona/ O Liberal)
Criança teve a veia jugular atingida e segue em estado grave. (Foto: Elivaldo Pamplona/ O Liberal)

Risco do cerol
De acordo com o Corpo de Bombeiros, no Pará, é comum o uso de linha encerada com a mistura de pó de vidro e cola - composto conhecido como "cerol", sobretudo na época do verão e das férias escolares, quando as crianças brincam de empinar pipa. O costume, no entanto, representa riscos. "A linha com cerol se torna uma navalha. E quando atinge uma pessoa que passa com velocidade, como a criança que estava na moto, o corte é ainda mais perigoso", alerta o major Zell.

O Corpo de Bombeiros alerta que o uso da mistura pode provocar acidentes até mesmo para quem brinca com a pipa. "Quando a pessoa puxa a linha com cerol, ela acaba cortando a mão, porque o material fica muito afiado".

O recomendado, de acordo com os bombeiros, é não usar o cerol na brincadeira. "Para quem quer brincar de pipa, não use o composto. O risco de acidentes é grande e pode custar vidas. A prevenção deve falar mais alto", destaca.
 G1
Belém

Nenhum comentário:

Todos os recados postados neste mural são de inteira responsabilidade do autor, os recados que não estiverem de acordo com as normas de éticas serão vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros.

Tecnologia do Blogger.