Advogada explica que não houve abandono de criança; mãe sofreu depressão pós-parto

Teste de Espaço de Anúncio

Após a identificação da mãe da criança que supostamente foi encontrada em frente a uma casa na beira da estrada, em Colíder, a advogada Ismaili Donassan, contratada para representar a família, explicou que não houve abandono.

O fato foi em decorrência de uma depressão pós-parto. De acordo com Ismaili, a mulher é casada, tem mais quatro filhos, sendo de uma família de classe média, bem estruturada e não abandonou a criança na beira da estrada, conforme foi dito anteriormente.

“O que aconteceu foi que ela entrou em trabalho de parto em casa, teve a criança sozinha e começou a sentir os sintomas da depressão pós-parto. Ela entregou o bebê para a mulher levar ao hospital”, disse a advogada.

O pai da criança, que é caminhoneiro, chegou bem no dia que houve todo o tumulto. Ele está apoiando a esposa, que não estava em seu estado normal. De acordo com a advogada, a mãe já está se recuperando e começou a amamentar a criança.

De acordo com a Polícia Civil, a mãe M.N.D.B.S. ainda não foi ouvida, e deve responder pelo crime de abandono de incapaz majorado pelo fato de ter sido praticado pela própria mãe da criança.

As investigações iniciaram após o Conselho Tutelar acionar a Polícia Militar para relatar que uma criança recém-nascida foi entregue no Hospital Regional, por uma senhora. Aos policiais, a mulher afirmou ter recebido o bebê de uma amiga que o encontrou na porta de casa e pelas circunstâncias a criança havia nascido há poucas horas, sendo levada ao hospital pela testemunha para os devidos cuidados médicos.

Com base nas informações fornecidas pela testemunha, os policiais foram até a Estrada do CTG, local em que a criança teria sido achada. No endereço, os policiais foram recebidos por M.N.D.B.S. que contou ter encontrado a recém-nascida, relatando que durante a madrugada acordou com o latido do seu cachorro, e quando foi verificar o motivo encontrou a criança, em frente a sua casa, ao lado da estrada.

Durante as investigações, a equipe da Polícia Civil descobriu que a versão contada por M.N.D.B.S. não era verdadeira e que ela era mãe da criança.

O bebê continua no Hospital Regional de Colíder recebendo os devidos cuidados médico e apresentando ótimo estado de saúde. A mãe deve ser ouvida ainda essa semana na Delegacia de Colíder.

A depressão pós-parto ocorre logo após o parto. Os sintomas incluem tristeza e desesperança. Muitas novas mães experimentam alterações de humor e crises de choro após o parto, que se desvanecem rapidamente. Elas acontecem principalmente devido às alterações hormonais decorrentes do término da gravidez. No entanto, algumas mães experimentam esses sintomas com mais intensidade, dando origem à depressão pós-parto. Raramente, pode ocorrer uma forma extrema de depressão pós-parto, conhecida como psicose pós-parto.

Fonte: Nortão Online

Nenhum comentário:

Todos os recados postados neste mural são de inteira responsabilidade do autor, os recados que não estiverem de acordo com as normas de éticas serão vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros.

Tecnologia do Blogger.