Produtor que matou engenheiro agrônomo em Mato Grosso consegue cela especial

Teste de Espaço de Anúncio
Foto: Reprodução
O juiz da Comarca de Porto dos Gaúchos acatou o pedido da defesa e manteve o produtor rural, preso em cela especial na unidade prisional do município. Ele é denunciado por matar o engenheiro agrônomo, Silas Henrique Palmieri Maia, de 33 anos, no distrito de Novo Paraná, no último dia 18 de fevereiro.

Inicialmente, a defesa havia pedido a reclusão do produtor rural no Centro de Custódia de Cuiabá (CCC), local com capacidade para 50 presos, com ensino médio completo. A justificativa seria de que o mesmo estaria recolhido no Batalhão da Polícia Militar de Juara, diante da inexistência de cela especial na Cadeia Pública do município.


A Comarca de Nova Mutum atestou que o acusado tem direito a ser recolhido em quartéis ou a prisão especial, pois já exerceu a função de jurado durante os anos 2006 a 2009. Por sua vez, o MPE acatou o pedido e determinou que o produtor fosse mantido em cela especial, separado dos presos comuns, na unidade prisional de Porto dos Gaúchos.

“ASSIM, NÃO HÁ MOTIVO QUE JUSTIFIQUE O RECOLHIMENTO DE PRESO COMUM A QUARTEL DAS FORÇAS ARMADAS. ENTÃO, CONSIDERANDO QUE A MEDIDA DE PRISÃO ESPECIAL ESTÁ REGULARMENTE EXECUTADA NOS TERMOS DA LEGISLAÇÃO VIGENTE, SENDO INAPLICÁVEL EM ORGANIZAÇÕES MILITARES, CONFORME EXPOSTO ACIMA, O INDEFERIMENTO DOS PEDIDOS DEFENSIVOS É MEDIDA EM QUESTÃO”, DIZ TRECHO DA DECISÃO DA ÚLTIMA SEGUNDA-FEIRA (11).

À Polícia Civil, o produtor confessou que estava se sentindo incomodado com a presença da vítima na fazenda dele em decorrência de uma cobrança, mas que não desejava matá-lo. Ele contou que  tinha financiado o custeio da lavoura e agora, época de colheita, o financiador foi até a propriedade cobrar a parte dele, para que a soja não fosse vendida O engenheiro era o representante da empresa financiadora e estava fiscalizando a colheita.


Por
 Fabiana Mendes-OD

Nenhum comentário:

Todos os recados postados neste mural são de inteira responsabilidade do autor, os recados que não estiverem de acordo com as normas de éticas serão vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros.

Tecnologia do Blogger.