Presidente da ALMT contrata buffet por R$ 1,5 milhão que inclui no cardápio carré de cordeiro andino, frutos do mar e queijo brie

Teste de Espaço de Anúncio

As empresas contratadas devem fornecer, entre outros pratos, suflê de bacalhau com endivas, filé de filhote grelhado com creme de jambu, purê de cupuaçu, filé-mignon ao funghi porcini, risoto de damasco para atender os deputados.



O presidente da ALMT, deputado Eduardo Botelho (PSB) — Foto: Marcos Lopes da Silva/ALMT
O presidente da ALMT, deputado Eduardo Botelho (PSB) — Foto: Marcos Lopes da Silva/ALMT

O presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, deputado Eduardo Botelho (DEM), assinou dois contratos para a serviços de buffet que, somados, ultrapassam R$ 1,5 milhão.

As empresas contratadas devem fornecer, entre outros pratos, suflê de bacalhau com endivas e queijo brie, filé de filhote grelhado com creme de jambu, purê de cupuaçu, filé-mignon ao funghi porcini, risoto de damasco e castanha da região, salada conchiglie com atum, pirarucu defumado ao leite de castanha, mix de frutos do mar com espuma de coco natural, pesto de manjericão e carré de cordeiro andino,

A empresa Iliana Madega Gambin – ME.vai receber R$ 609 mil, enquanto a empresa Pires de Miranda & Cia Ltda – EPP vai receber dois lotes: o primeiro no valor de R$ 602 mil e o segundo no valor de R$ 370 mil.

A publicação dos dois contratos foi feita no dia 30 de janeiro e eles têm validade de 12 meses.

O fornecimento se divide em brunch, coffee break, almoço e jantar.

Após a repercussão na mídia, a assessoria de imprensa da Assembleia Legislativa disse que o presidente pediu o cancelamento dos contratos e que o ato deve ser publicado no Diário Oficial de quinta-feira (28).

Cada um dos 24 deputados estaduais gasta mais de R$ 160 mil por mês. Além da verba indenizatória de R$ 65 mil e do salário de R$ 25 mil, recebe verba de gabinete e outros auxílios e gratificações.

Duodécimo
O duodécimo previsto para ser repassado este ano para o Poder Legislativo é de R$ 506 milhões . O montante é usado pelas instituições públicas e pelos poderes para a compra de equipamentos, material de trabalho, pagamento da folha salarial e outras despesas.

O repasse é dividido em 12 vezes e cada instituição tem o direito garantido na Lei Orçamentária Anual (LOA) de receber uma porcentagem da receita corrente líquida do estado.

Por Flávia Borges, G1 MT




Nenhum comentário:

Todos os recados postados neste mural são de inteira responsabilidade do autor, os recados que não estiverem de acordo com as normas de éticas serão vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros.

Tecnologia do Blogger.