Identificada vítima de afogamento no Rio Teles Pires entre Carlinda e Novo Mundo

Teste de Espaço de Anúncio
Foto: Divulgação
Foi identificado no final da tarde de ontem, segunda-feira (11), o homem vítima de afogamento no Rio Teles Pires, o fato ocorreu na balsa do Alcindo, entre os municípios de Carlinda e Novo Mundo. Trata-se de João Vítor Custódio Fitz, 22 anos, natural e residente no município de Bauru, estado de São Paulo. O corpo foi localizado após uma equipe do Corpo de Bombeiros realizar buscas no rio. O afogamento segundo o Corpo de Bombeiros ocorreu no domingo (10) na margem direita do rio Teles Pires, MT-419, município de Novo Mundo. No local, havia um grupo de vendedores ambulantes (cerca de 10) que aguardavam a vinda da balsa conhecida como “Balsa do Alcindo” vir da outra margem para que pudessem passar à margem esquerda do rio junto com o ônibus em que estavam. Enquanto aguardavam a chegada da balsa, alguns destes homens se divertiam na água. Com a chegada da balsa, subiram nela, e dois saltam na água, não conseguindo retornar, sendo levados rio abaixo. Um destes vendedores, com a ajuda de uma senhora que tem uma flutuante há cerca de 200 metros de onde saíram, saiu da água quando um cabo de vassoura lhe foi dado para segurar e ser puxado para a flutuante.Já João Vitor acabou sumindo. A unidade do Corpo de Bombeiros destaca que existem algumas condicionantes que influenciaram o não encontro do corpo por meio de mergulho. No período chuvoso há o carreamento substancial de material para o rio proveniente das margens e adjacências do mesmo, tornando a água bastante turva. A visibilidade há uns cinco metros abaixo da água não ultrapassa 01 metro mesmo com o uso de lanternas. Devido ao horário de acionamento, até se mobilizar a equipe de busca, acondicionar todos os materiais que não são poucos e tempo para o deslocamento, não foi possível mergulhar-se no mesmo dia do fato ocorrido. Deste modo, passadas algumas horas, em razão do processo de decomposição do corpo, o cadáver lentamente eleva-se do fundo, consequentemente sendo levado pela água. Por isto que o êxito de busca subaquática é mais certo quando feita em poucas horas após o afogamento. Rios estreitos, lagoas e represas em que há pouco ou nenhum movimento da água, o encontro de corpo no fundo da água é mais provável. De todo modo, apesar de uma gama de variáveis, o Corpo de Bombeiros empreende esforços para que se encontre a pessoa desaparecida num menor tempo possível, uma vez que quanto mais tempo se leva para encontrar o morto, mais sofrimento há dos familiares e menos tempo terão para a cerimônia funerária. Dados importantes de afogamentos segundo a Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático – SOBRASA (Conforme Boletim Brasil 2018) 16 brasileiros morrem afogados diariamente. A cada 91 minutos um brasileiro morre afogado. Homens morrem 6,8 vezes mais que mulheres. 47% dos óbitos são de pessoas até os 29 anos de idade. A Região Norte do Brasil tem o maior índice de mortalidade. 75% dos óbitos ocorrem em rios e represas. 52% das mortes na faixa de 01 a 09 anos de idade ocorrem em piscinas e residências. Mais de 80% das mortes ocorrem por, ignorar os riscos, não respeitar limites pessoais, e desconhecer como agir.

Notícia Exata com Assessoria




Nenhum comentário:

Todos os recados postados neste mural são de inteira responsabilidade do autor, os recados que não estiverem de acordo com as normas de éticas serão vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros.

Tecnologia do Blogger.