Escândalo Flávio Bolsonaro explica ataque contra transparência pública

Teste de Espaço de Anúncio


Marcos Augusto Gonçalves
O escândalo que envolve Flávio Bolsonaro, o garoto número 1 do presidente, metido em transações suspeitas e associado a milicianos  criminosos, parece ter levado o governo a deflagrar uma ofensiva contra a transparência.

É espantoso que após tanta retórica contra a corrupção e pela mudaça do “sistema”, o grupo que chegou ao poder comece por dificultar o acesso da sociedade a dados públicos –uma garantia constitucional.

Duas medidas concomitantes vão nesse sentido. A primeira é o decreto assinado pelo presidente interino Hamilton Mourão, que altera regras de aplicação da Lei de Acesso à Informação e autoriza ocupantes de cargos comissionados a classificar dados do governo federal como ultrassecretos. Mais funcionários agora podem decidir pelo sigilo máximo de 25 anos.

  Bolsonaros
Bolsonaros
Como bem disse o ex-presidente da Comissão de Ética da Presidência,  Mauro Menezes (2016-2018), “o sistema de transparência pública sofre um golpe duro com essa ampliação indiscriminada dos agentes capazes de impor sigilo a dados públicos”. Deve ser um marxista globalista corrupto…

A  outra medida, patética na evidência de suas motivações, é a tentativa do Banco Central de  excluir parentes de políticos da lista de monitoramento obrigatório das instituições financeiras. É a Lei Flavio Bolsonaro!

O BC também quer derrubar a obrigação de notificações ao Coaf relativas a transações bancárias acima de R$ 10 mil.

Ou seja, o governo do Mito que veio para acabar com a corrupção já está criando maneiras de facilitá-la.

Quanto a Flávio, vai sendo entregue às baratas. Em nome do pai, pode acabar renunciando a seu mandato como senador.




FOTO = O presidente interino, Hamilton Mourão, deixa o gabinete da Vice-Presidência na última segunda (21) – Pedro Ladeira – 21.jan.19/Folhapress

BLOG DO MAG

Nenhum comentário:

Todos os recados postados neste mural são de inteira responsabilidade do autor, os recados que não estiverem de acordo com as normas de éticas serão vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros.

Tecnologia do Blogger.