Ao fim do governo, Pedro Taques diz em post que fez o que podia, afirma que saúde é a área mais complexa e cita avanços em MT

Teste de Espaço de Anúncio
Pedro Taques deixa o cargo e quem assume é o empresário Mauro Mendes — Foto: Carol Sanford/Gcom-MT   
     Pedro Taques deixa o cargo e quem assume é o empresário Mauro Mendes — Foto: Carol Sanford/Gcom-MT


Prestes a deixar o comando do Palácio Paiaguás, o governador Pedro Taques (PSDB) postou uma mensagem na página dele no Facebook, nessa segunda-feira (31), com uma avaliação da gestão dele. O cargo deixado por Taques será ocupado nesta terça-feira (1º) pelo governador eleito, Mauro Mendes (DEM). (Leia abaixo da reportagem a mensagem na íntegra)
Na mensagem, o governador se diz otimista e afirma ter trabalhado bastante para resolver os problemas da população do estado.
"Para superar os desafios e melhorar os serviços de saúde, segurança, educação, para modernizar a máquina, trabalhamos incansavelmente. Sempre, buscando novos e melhores modos de atuação pública. Foi e sempre será a maior honra governar Mato Grosso – cargo que sempre sonhei e lutei com todas as minhas forças para bem ocupar", afirma.
Ele disse que, por não conseguir agir sozinho para atender a todas as demandas da sociedade, o estado precisa buscar novos arranjos no desenho institucional, e cita parcerias com o setor privado, os Poderes constituídos e a sociedade civil.
Para o governador, a saúde é o setor mais complexo e difícil. No entanto, defende que houve avanços.
"O estado é o grande financiador do Novo Pronto Socorro de Cuiabá, que irá oferecer um serviço de mais qualidade aos pacientes. É uma obra esperada há mais de 30 anos pela população e que priorizamos, assim como o novo Cridac. São grandes ações que a nossa gestão conseguiu impulsionar e entregar", argumentou.
Ele também citou a Caravana da Transformação, que fez mutiração de cirurgias oftalmológicas. "Também somos responsáveis pelo maior programa de saúde já realizado em Mato Grosso, a Caravana da Transformação".
Leia a mensagem na íntegra:
"O pessimista vê dificuldade em cada oportunidade. Já o otimista vê oportunidade em cada dificuldade. Eu, Pedro Taques, sou um otimista. Assim sempre me traduzi e procuro agir em todas as situações da minha vida.
A função de um governo é resolver problemas e entregar políticas públicas. As constantes mudanças pelas quais passamos nos últimos anos impõem novos modos de pensamento e permanente crítica aos modelos de administração pública existentes. Por não conseguir mais agir sozinho para atender todas as demandas da sociedade, o Estado precisa buscar novos arranjos no desenho institucional, o que inclui parcerias com o setor privado, o terceiro setor, os demais Poderes e a sociedade civil.
Por isso, se tem algo que me orgulho nos últimos anos é poder trabalhar pelo bem-estar social da população de Mato Grosso, ao lado de mais de 80 mil servidores públicos, em sua grande maioria, dedicados, honestos e esperançosos por dias melhores.
Dificuldades se multiplicam em cada canto da máquina. Desafiados, trabalhamos para transformá-las em oportunidades. Nunca foi tão forte a máxima “pensar fora da caixinha” para aqueles que buscam mudar para melhor a realidade social.
Para superar os desafios e melhorar os serviços de saúde, segurança, educação, para modernizar a máquina, trabalhamos incansavelmente. Sempre, buscando novos e melhores modos de atuação pública. Foi e sempre será a maior honra governar Mato Grosso – cargo que sempre sonhei e lutei com todas as minhas forças para bem ocupar.
Após quatro anos de gestão é possível contabilizar avanços e mudanças na administração do Executivo estadual. Os indicadores apontam melhorias em todas as áreas. Temos números positivos e boas histórias para contar nos quatros cantos do território mato-grossense.
Neste período, de 2015 a 2018, os desafios foram enormes. O Brasil passou pela mais grave crise econômica já vivida na República. O país ainda se recupera desse colapso e tenta virar a página. Enquanto isso, as demandas por serviços públicos aumentaram e a conta não fechou. Mato Grosso, assim como todo o país, tem problemas históricos para resolver, mas o orçamento é pequeno diante de tanta coisa a se fazer. Por isso, mesmo que os indicadores apontem melhorias, a sensação é de que ainda há muito a se fazer. E de fato há. Mas, mesmo com crise e adversidades, não retrocedemos. Avançamos, olhamos para frente.
A melhoria dos serviços públicos é gradual. Os governos passam, mas o Estado fica. Esta gestão deixou marcas significativas para a eficiência da gestão pública. Rompemos com velhas práticas. Mostramos que é possível trabalhar com austeridade e responsabilidade com o dinheiro público.
Foram quebradas velhas amarras, buscou-se a modernização na oferta de serviços. Cada vez mais mato-grossenses têm acesso a serviços online, como no Detran, na Sefaz, na PGE. Podem ser consideradas ações de baixo impacto social, mas que contribuem para aumentar a arrecadação e melhorar aqueles serviços do Estado que só podem ser realizados olho no olho, como a oferta de saúde e educação.
Num cenário de alto índice de desemprego e crise econômica em todo o país, fatores que contribuem indiretamente para o aumento da criminalidade, Mato Grosso conseguiu diminuir os índices de violência. Isso foi possível priorizando investimentos: 3.663 novos homens e mulheres para as forças de segurança, renovação da frota, equipamentos para os profissionais e estruturação da inteligência.
Na educação todos os índices do IDEB melhoraram, mostrando que o investimento em estrutura física e pedagógica gera resultado. De 700 escolas do Estado, cerca de 140 passaram por reforma, 38 passaram por reconstrução e 42 novas foram construídas.
Investimos em reformas dos Hospitais Regionais e aumentamos significativamente o apoio às unidades municipais. A saúde é o setor mais complexo e difícil, porém, também conseguimos avançar. O Estado é o grande financiador do Novo Pronto Socorro de Cuiabá, que irá oferecer um serviço de mais qualidade aos pacientes. É uma obra esperada há mais de 30 anos pela população e que priorizamos, assim como o novo Cridac. São grandes ações que a nossa gestão conseguiu impulsionar e entregar.
Também somos responsáveis pelo maior programa de saúde já realizado em Mato Grosso, a Caravana da Transformação. Com carretas móveis de saúde e um enorme complexo de atendimento, o programa contemplou milhares de pessoas realizando 66.409 cirurgias oftalmológicas. Foram 12 edições, sendo uma realizada na Capital e todas as outras no interior.
Nada vale mais a pena do que ouvir histórias como a da senhora Celsiolina Ferreira do Santos, moradora de General Carneiro. Ela tinha abandonado sua atividade profissional, a costura, porque não enxergava mais. Depois da cirurgia, ela voltou a trabalhar e a ter uma vida ativa. Carregarei comigo a felicidade de ter contribuído com o futuro dessas pessoas.
Entre as diversas ações que ficarão como legado e que certamente os mato-grossenses sentirão seus efeitos positivos no futuro está o maior programa de concessões de rodovias e de aeroportos da história de Mato Grosso. Alguns trechos já foram concessionados. Com gestão eficiente, conseguimos fazer mais estradas com menos recursos. Enquanto a gestão anterior fez 886 km de asfalto novo, nos últimos quatro anos, foram construídos 2.400 km de asfalto.
O Estado tem hoje um alto grau de capacidade técnica para lançar novas parcerias público-privadas. As novas unidades do Ganha Tempo, que oferecem mais de 100 serviços num local com total conforto ao cidadão, são exemplo disso. Antes, Mato Grosso tinha apenas uma unidade na capital. Agora são sete novas unidades espalhadas pelo Estado, incluindo a revitalização completa da antiga sede na Praça Ipiranga, no centro de Cuiabá.
O foco de todas as intervenções públicas foi a pessoa que reside em Mato Grosso e que sonha com uma vida melhor. Foi assim que investimos no turismo, criando novas oportunidades e chamando a atenção para as nossas belezas naturais; foi assim nos editais de Cultura que fizeram florescer novos artistas com fomento ao setor; foi assim que pensamos quando priorizamos a regularização de casas na cidade e na zona rural e quando complementamos a renda das populações mais vulneráveis com o programa Pró-Família.
Cumprimos praticamente 70% dos compromissos firmados, de acordo com levantamento do site G1. Em tempos de crise, esse é um dado que mostra nosso empenho. De 23 promessas monitoradas nos últimos quatro anos, cumprimos 12 na integralidade e 4 em parte. Sete não conseguimos entregar. Porém, duas dessas propostas também foram executadas em parte. A redução de cargos foi realizada em 2015, mas com foi necessário readequar a estrutura. Neste quesito, registro que mais de 60% dos cargos comissionados foram ocupados por servidores de carreira, um feito inédito. Já a promessa de um novo Hospital em Cuiabá, reitero que concentramos esforços e recursos para construir o Novo Pronto-Socorro da Capital, em parceria com a prefeitura.
Sabemos que ainda há muito trabalho pela frente. As grandes mudanças acontecem em longo prazo, com muito esforço e trabalho. Mas acredito que a nossa gestão deixou sua contribuição para construção de um futuro melhor para todos, mais justo e igualitário. Olhamos para o futuro e garantimos os serviços básicos necessários no presente.
Quando me perguntam: “Pedro, foi como você imaginava?”
Eu respondo: “Fiz tudo o que podia, com amor, dedicação, sempre pensando no bem comum. Eu sonhava com muito mais. Porém, infelizmente, neste momento não foi possível fazer tudo o que sonhei”.
Chegando ao fim desta gestão, reforço o meu sentimento de gratidão. Desejo a todos aqueles que entram, que saem e aos que permanecem na missão de conduzir o Governo de Mato Grosso, um próspero ano novo.
Aos amigos, familiares, aos seguidores, e àqueles que sonham sempre com um futuro melhor também deixo uma mensagem: a política é como a guerra e não menos perigosa. Na guerra a pessoa só pode ser morta uma vez, mas, na política há tempo para renascimento. Que possamos sempre renascer, com fé e perseverança.

Feliz 2019!"


Por G1 MT .

Nenhum comentário:

Todos os recados postados neste mural são de inteira responsabilidade do autor, os recados que não estiverem de acordo com as normas de éticas serão vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros.

Tecnologia do Blogger.