Polícia Civil prende tio por estupro da sobrinha de 10 anos em Alta Floresta

Teste de Espaço de Anúncio

Polícia Civil prende tio por estupro da sobrinha de 10 anos em Alta FlorestaA Polícia Judiciária Civil cumpriu mandado de prisão preventiva, neste sábado (01.12), contra um suspeito de estuprar a sobrinha de 10 anos, cidade de Alta Floresta. A prisão foi efetuada por investigadores da Delegacia de Polícia, local onde o inquérito policial foi instaurado.

O suspeito E.N.S, 31 anos, nascido em Alta Floresta, teria molestado a criança ao menos duas vezes, até que a mãe da vítima descobriu e denunciou o caso à Polícia Civil pelo fato ocorrido no dia 24 de novembro de 2018, na casa da avó da criança.

O delegado Carlos Francisco de Moraes disse que assim que houve a denúncia foram colhidos os primeiros elementos de informação acerca dos fatos e suas das circunstancias, inclusive representou pela produção antecipada de prova, conforme previsão do artigo 11, § 1o inciso II da Lei 13.341/2017, sendo prontamente adotadas pelos Poder Judiciário as providencias para realização do depoimento especial da criança

A audiência contou com a participação do investigado E.N.S, autoridade policial, defensor público, promotor de justiça, juiz da Vara Criminal, psicóloga e outros funcionários do Poder Judiciário. 

A vítima relatou que o tio (irmão de seu pai) começou a conversar com ela quando estava deitada na cama assistindo TV. Ele teria passado as mãos no corpo da criança e depois tirou as roupas no escuro e a obrigou passar as mãos em sua genitália e ainda passou o órgão genital na menina, entre outros atos libidinosos. Em outro momento, quando o tio levava a criança até a casa da avó, ele pediu a menor para colocar as mãos dentro de sua bermuda.

Com base no relato da vítima e demais elementos informativos colhidos na fase investigatória, também foi feita representação pela decretação de medida cautelar  restritiva da liberdade de locomoção do acusado. O Ministério Público deu parecer favorável pela decretação da prisão, sendo o mandado de prisão preventiva deferido pelo Poder Judiciário.

"O episódio demonstra que a atuação de forma integrada e cooperativa dos órgão de persecução penal do Estado tem resultados satisfatório na resposta a sociedade dos eventos que, em tese, se amoldam a condutas criminosas", disse.

Assessoria | PJC-MT

Nenhum comentário:

Todos os recados postados neste mural são de inteira responsabilidade do autor, os recados que não estiverem de acordo com as normas de éticas serão vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros.

Tecnologia do Blogger.