Bebê de 11 meses morre afogada em balde com água em Cuiabá; terceiro caso em menos de um mês

Teste de Espaço de Anúncio











Mais uma tragédia envolvendo criança foi registrada na madrugada desta segunda-feira (3) em Cuiabá. De acordo com a Polícia Civil, uma bebê de apenas 11 meses morreu depois que se afogou em um balde com água no bairro Parque Cuiabá, em Cuiabá. Esta já é a terceira morte de bebês por afogamento em um mês.

Ainda segundo as informações, a tragédia aconteceu na casa dos padrinhos da bebê, onde a família fazia um almoço.


A mãe da criança contou que preparava a comida quando deixou a filha brincando na sala. Minutos depois, percebendo o silêncio instalado na casa, ela chamou pela criança.

Segundo a mulher relatou para a polícia, a bebê já engatinhava e, por isso, ela começou a ficar preocupada. A mãe foi, então, procurá-la pela casa. Quando a encontrou, ela já estava se debatendo, dentro de um balde com água, que estava em um dos banheiros da casa.

Desesperada, a mulher pediu socorro para os vizinhos e amigos, que tentaram reanimar a bebê. Sem sucesso, ela foi levada para a Policlínica do Coxipó. A morte da criança foi confirmada horas depois, na madrugada.

Outros casos
No dia 17 de setembro, uma criança de apenas dois anos também morreu afogada depois de cair na piscina de sua casa, no bairro Jardim Paulista, em Cuiabá. Segundo a Polícia Civil, ele estava acompanhado do pai e da avó materna, que se distraíram em casa.

Conforme o relato do pai, quando eles deram falta da criança, já por volta das 17 horas, o procuraram no quintal e encontraram o bebê boiando, já afogado. O pai ainda pulou na piscina e levou a criança para um hospital particular próximo a residência, onde ele foi reanimado. No entanto, o bebê não resistiu e morreu.

No dia 29 de novembro também morreu no Pronto Socorro de Cuiabá um bebê de 10 meses, que caiu na piscina de casa, no bairro Despraiado, no dia anterior. Ele estava com a mãe e a avó materna quando ambas se distraíram e não perceberam a criança engatinhando pela casa.

Quando sentiram falta da criança, começaram a procurá-la, até que a avó a encontrou na piscina. Desesperada, ela começou uma reanimação cardiopulmonar (RCP) e chamou o tio da criança, que é estudante de medicina. Ele continuou com a massagem cardíaca até que a Polícia Militar e, depois, o Samu.

Naquele dia, ele foi reanimado por duas horas e levado para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Pronto Socorro. Ele morreu na tarde do dia seguinte.



Olivre 

Nenhum comentário:

Todos os recados postados neste mural são de inteira responsabilidade do autor, os recados que não estiverem de acordo com as normas de éticas serão vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros.

Tecnologia do Blogger.