Governo expulsa major da PM acusado de estuprar enteadas menores de idade; dopava vítimas

Teste de Espaço de Anúncio

Governo expulsa major da PM acusado de estuprar enteadas menores de idade; dopava vítimas

O governador Pedro Taques (PSDB) ratificou a decisão de expulsar o major aposentada da Polícia Militar, Francisco Ferreira de Almeida Filho, acusado de estuprar duas de suas enteadas. O caso veio à tona em 2012, quando o agora ex-servidor público chegou a ser preso preventivamente.


A decisão foi publicada no Diário Oficial do Estado (DOE), que circula nesta terça-feira (25). No despacho, o governador resolveu “ratificar a demissão do Major PM RR Francisco Ferreira de Almeida Filho, conforme decisão proferida no Processo Administrativo Disciplinar (PAD) (...), a qual considerou o referido militar CULPADO da acusação que lhe foi imputada”.

Em seu depoimento, uma das vítimas relatou que o padrasto a levava a motéis de Cuiabá e a constrangia com ameaças e emprego de arma de fogo. Ela contou que durante os atos sexuais, o padrasto a dopada com bebidas alcoólicas e realizava filmagens das cenas de sexo.

Segundo a vítima, a violência só teria cessado quando saiu de casa, mas o padrasto passou a abusar da irmã mais nova, de 13 anos, que também contou que era estuprada constantemente. A delegada que estava na frente do caso era Alexandra Fachone, que atuava como adjunta da Delegacia Especializada de Proteção a Criança e ao Adolescente (Deddica).

Em maio de 2012, o major foi preso por conta do crime. Também foram feitas buscas e apreensões em três residências nos bairros Pedra 90, Jardim Presidente II, e Tijucal, onde o suspeito possuía pertences. Nos locais foram apreendidos mais 90 CDs e DVDs, CPUs, pedrives, cartão de memória e máquinas fotográficas.

A mãe das garotas disse que desconhecia a violência que o marido praticava com as filhas.


Olhar Direto


Nenhum comentário:

Todos os recados postados neste mural são de inteira responsabilidade do autor, os recados que não estiverem de acordo com as normas de éticas serão vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros.

Tecnologia do Blogger.