Bandido é surrado até a morte após assassinar taxista em assalto

Teste de Espaço de Anúncio
A mulher do bandido foi detida pela PM ao se esconder em um cômodo da casa
Um assaltante identificado como Pedro Henrique Costa do Nascimento, 18 anos, foi surrado até a morte por mais de 100 pessoas no bairro Grande Conquista, em Rondonópolis (212 km ao Sul de Cuiabá). Ele foi perseguido após ter executado um taxista identificado como Marcelo da Costa Pinto, 39 anos.

O latrocínio, roubo seguido de morte, aconteceu no domingo (9). Uma mulher de 18 anos, identificada como Kauane Gomes Barbosa de Sousa Gama, também foi presa pelo envolvimento no assassinato do taxista.

Em depoimento, a mulher disse que estava em casa com o marido quando ele chamou um táxi para que eles fossem para a casa da mãe dela. No caminho, porém, o homem anunciou o assalto e passou a esganar o taxista.
Kauane afirma que pediu para que o marido parasse com o assalto, porém ele não parou e ela saiu correndo de volta para casa. O taxista foi encontrado morto, amarrado e com ferimentos provocados por facadas.

Testemunhas afirmaram que viram um casal saindo do táxi da vítima, o que vai contra a versão apresentada pela mulher. Após algumas horas, a polícia foi novamente acionada, pois um grupo de populares e taxistas havia localizado a casa dos envolvidos no assalto.

Pedro Henrique foi surrado e não resistiu aos ferimentos. Kaune sobreviveu por conseguir se esconder em um dos cômodos da casa.

Ela foi algemada e encaminhada para a delegacia da cidade.


O caso é investigado pela Polícia Civil, por meio da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

                                                                          PMMT
Bandido é linchado em Rondonópolis
Kauane confessou que o marido executou o taxista durante assalto.

RepórterMT/AgoraMT


Nenhum comentário:

Todos os recados postados neste mural são de inteira responsabilidade do autor, os recados que não estiverem de acordo com as normas de éticas serão vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros.

Tecnologia do Blogger.