Cerco policial em agência do Banco do Brasil já dura mais de oito horas; sete são procurados

Teste de Espaço de Anúncio
Cerco policial em agência do Banco do Brasil já dura mais de oito horas; sete são procurados


Já dura mais de oito horas o cerco policial em torno da agência do Banco do Brasil, localizada em Brasnorte (575 quilômetros de Cuiabá) e que foi alvo de criminosos na madrugada desta segunda-feira (06). Até agora, duas pessoas foram presas, mas as autoridades acreditam que outras sete poderiam estar escondidas dentro do banco ou em comércios próximos. Uma varredura minuciosa continua a ser realizada.


Segundo as informações da assessoria da Polícia Militar, o alarme da agência disparou e a polícia foi acionada por volta das 2h50. Desde então, foi montado um cerco policial na região. Informações preliminares são de que nove indivíduos estariam envolvidos, sendo que cinco deles diretamente nas dependências do banco, com apoio de dois veículos.

Eriely Cristina dos Santos Assis, 24 anos e Janderson Jales da Silva, 23 anos, foram os presos até agora. Eles estavam na parte de fora do banco, quando os policiais chegaram. Também foram apreendidos malas e objetos, entre eles três bloqueadores de celulares.

Segundo o comandante do 7ºCR, coronel Heverton Moretti de Oliveira, esses produtos foram localizados na zona rural, onde os suspeitos estariam usando como apoio.

A operação policial ainda não foi concluída. Uma varredura está sendo realizada com quatro viaturas da Força Tática e uma do Batalhão de Operações Especiais (Bope). Equipes de Campo Novo do Parecis, Juína, Juara e Tangará da Serra trabalham na tentativa de prender todos os envolvidos.

A quadra do banco foi cercada, por acreditar que os suspeitos estejam ou no interior do banco ou escondidos em estabelecimentos comerciais próximos.


Olhar Direto

Nenhum comentário:

Todos os recados postados neste mural são de inteira responsabilidade do autor, os recados que não estiverem de acordo com as normas de éticas serão vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros.

Tecnologia do Blogger.