Mãe é presa suspeita de estuprar filho de 4 anos e filmar crime, na PB

Teste de Espaço de Anúncio

Uma jovem de 19 anos foi presa nesta terça-feira (24), após confessar ter abusado sexualmente do filho de 4 anos e gravar a relação, no município de Areia, no Agreste da Paraíba. Segundo a delegada do município, Simone Rosemberg, responsável pelo caso, o vídeo foi gravado há um ano.


De acordo com a delegada, a jovem afirmou em depoimento que realizou a gravação a pedido de uma pessoa que ela conhecia, apenas pela internet, que mora em São Paulo e com quem ela teria se envolvido emocionalmente.

“Na verdade, é um relacionamento por mensagem. A investigação vai continuar, a gente vai tentar encontrar essa pessoa, através de outros recursos. Porque ela [a suspeita] não sabe o nome completo dele, não sabe o endereço, não sabe onde mora. Ela só tinha um número de celular que ele trocava constantemente”, disse.

A Polícia Civil investiga ainda a possibilidade de que o caso tenha relação com uma rede de pedofilia. “Pode não se tratar de um fato isolado. Ela, ao ser interrogada, disse que praticou isso uma única vez a pedido dele, mas isso ainda é muito superficial”, pontuou.

Simone Rosemberg informou que celulares e chips da jovem foram apreendidos e devem ser periciados. “Para que a gente possa ver em qual profundidade esses atos eram praticados. Se ela ainda continuava enviando outros vídeos, imagens, para quantas pessoas esses vídeos eram encaminhados”, comentou.

A Delegacia de Areia fez um pedido de prisão preventiva da jovem, que foi analisado e aprovado pelo Poder Judiciário. Segundo a delegada, até as 14h a suspeita estava na carceragem da Delegacia, mas deveria ser encaminhada para o presídio Serrotão, em Campina Grande. A criança realizou o exame de corpo de delito e está com a avó materna.

“Na verdade, é um relacionamento por mensagem. A investigação vai continuar, a gente vai tentar encontrar essa pessoa, através de outros recursos. Porque ela [a suspeita] não sabe o nome completo dele, não sabe o endereço, não sabe onde mora. Ela só tinha um número de celular que ele trocava constantemente”, disse.

A Polícia Civil investiga ainda a possibilidade de que o caso tenha relação com uma rede de pedofilia. “Pode não se tratar de um fato isolado. Ela, ao ser interrogada, disse que praticou isso uma única vez a pedido dele, mas isso ainda é muito superficial”, pontuou.

Simone Rosemberg informou que celulares e chips da jovem foram apreendidos e devem ser periciados. “Para que a gente possa ver em qual profundidade esses atos eram praticados. Se ela ainda continuava enviando outros vídeos, imagens, para quantas pessoas esses vídeos eram encaminhados”, comentou.



G1/PB

Nenhum comentário:

Todos os recados postados neste mural são de inteira responsabilidade do autor, os recados que não estiverem de acordo com as normas de éticas serão vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros.

Tecnologia do Blogger.