Proprietário mostra vídeo e diz que seguranças não agrediram empresário

Teste de Espaço de Anúncio
Briga no Balneário Rio Preto foi registrada pelo circuito interno
Na segunda-feira (18), o empresário W.S, dono de um pequeno mercado em Sinop, denunciou junto a Polícia Civil que foi agredido por seguranças no Balneário Rio Preto, na noite de domingo. Para o proprietário do estabelecimento, Rafael Balastrelli, o homem distorceu os fatos e mentiu ao afirmar que foi agredido pelos seguranças.

O GC Notícias conversou com Rafael, que mostrou as imagens das câmeras de segurança instaladas no local. O vídeo, com pouco mais de 7 minutos, mostra a confusão que aconteceu no lado de fora do evento. Conforme Rafael, o empresário foi retirado do estabelecimento porque se envolveu em uma confusão com outros frequentadores. “Os seguranças retiraram ele e depois o outro casal, para conter a briga”, explica Rafael.

Cerca de um minuto depois que W.S foi colocado para fora, os seguranças também retiraram um homem e uma mulher, que o proprietário acredita serem os cunhados do empresário, também envolvidos na confusão. Nessa hora, W.S tenta retornar para o interior, forçando o portão de acesso. Nesse momento aparece outro homem, vestido com uma camiseta azul escuro, que empurra a mulher e os outros dois homens. “Ele, que aparece no vídeo trocando socos com o tal empresário, não é segurança nosso, apenas um frequentador”, revela Rafael.

Os seguranças continuaram do lado de fora tentando evitar a briga e conter os ânimos. W.S, sua cunhada e o esposo dela acabam caindo no chão, esbarrando e derrubando motos que estavam estacionadas. Em um segundo momento um homem, de boné branco, parte para cima de W.S e chega tentar pegar um pedaço de concreto no chão, mas é impedido por outros frequentadores. “Esse cara de boné branco, também não é segurança do Balneário”, afirma o proprietário.


Depois de 5 minutos a confusão se dissipa e W.S começa a chutar e dar socos no portão de acesso. Ele e o outro homem que estava junto entram pela entrada lateral, sendo contidos pelos seguranças e forçados a retornar. Na volta, W.S mais uma vez dá socos na bilheteria da casa de festas. “Toda a confusão foi com ele. Ele disse que saiu daqui desmaiado, mas as imagens mostram que ele foi embora andando, depois que seus amigos o convenceram a parar”, comenta Rafael.
O proprietário do estabelecimento também desmentiu a afirmação de que W.S estava com suas duas filhas menores de idade. “A partir das 20h é proibida a presença de crianças no interior do balneário. Nós anunciamos nas caixas de som e quem insiste em permanecer, mesmo com a presença dos adultos, é convidado a se retirar”, explica.

Segundo Rafael, o Balneário Coqueiro, mais conhecido como Rio Preto, existe há 30 anos, sob a direção da mesma família, e sem nenhum histórico de violência ou confusão. A casa conta com detectores de metal, câmeras de segurança e 4 seguranças, que fazem a revista pessoal de quem adentra ao recinto. Em média, cerca de 500 pessoas passam pelo local, que abre aos domingos de meio dia servindo almoço e oferece um baile para adultos no final do dia.

Veja abaixo o vídeo do circuito de segurança.

Proprietário mostra vídeo e diz que seguranças não agrediram empresário

GC Notícias | 19/06/2018 15:32 

Briga no Balneário Rio Preto foi registrada pelo circuito interno

Na segunda-feira (18), o empresário W.S, dono de um pequeno mercado em Sinop, denunciou junto a Polícia Civil que foi agredido por seguranças no Balneário Rio Preto, na noite de domingo. Para o proprietário do estabelecimento, Rafael Balastrelli, o homem distorceu os fatos e mentiu ao afirmar que foi agredido pelos seguranças.
O GC Notícias conversou com Rafael, que mostrou as imagens das câmeras de segurança instaladas no local. O vídeo, com pouco mais de 7 minutos, mostra a confusão que aconteceu no lado de fora do evento. Conforme Rafael, o empresário foi retirado do estabelecimento porque se envolveu em uma confusão com outros frequentadores. “Os seguranças retiraram ele e depois o outro casal, para conter a briga”, explica Rafael.
Cerca de um minuto depois que W.S foi colocado para fora, os seguranças também retiraram um homem e uma mulher, que o proprietário acredita serem os cunhados do empresário, também envolvidos na confusão. Nessa hora, W.S tenta retornar para o interior, forçando o portão de acesso. Nesse momento aparece outro homem, vestido com uma camiseta azul escuro, que empurra a mulher e os outros dois homens. “Ele, que aparece no vídeo trocando socos com o tal empresário, não é segurança nosso, apenas um frequentador”, revela Rafael.
Os seguranças continuaram do lado de fora tentando evitar a briga e conter os ânimos. W.S, sua cunhada e o esposo dela acabam caindo no chão, esbarrando e derrubando motos que estavam estacionadas. Em um segundo momento um homem, de boné branco, parte para cima de W.S e chega tentar pegar um pedaço de concreto no chão, mas é impedido por outros frequentadores. “Esse cara de boné branco, também não é segurança do Balneário”, afirma o proprietário.
Depois de 5 minutos a confusão se dissipa e W.S começa a chutar e dar socos no portão de acesso. Ele e o outro homem que estava junto entram pela entrada lateral, sendo contidos pelos seguranças e forçados a retornar. Na volta, W.S mais uma vez dá socos na bilheteria da casa de festas. “Toda a confusão foi com ele. Ele disse que saiu daqui desmaiado, mas as imagens mostram que ele foi embora andando, depois que seus amigos o convenceram a parar”, comenta Rafael.
O proprietário do estabelecimento também desmentiu a afirmação de que W.S estava com suas duas filhas menores de idade. “A partir das 20h é proibida a presença de crianças no interior do balneário. Nós anunciamos nas caixas de som e quem insiste em permanecer, mesmo com a presença dos adultos, é convidado a se retirar”, explica.
Segundo Rafael, o Balneário Coqueiro, mais conhecido como Rio Preto, existe há 30 anos, sob a direção da mesma família, e sem nenhum histórico de violência ou confusão. A casa conta com detectores de metal, câmeras de segurança e 4 seguranças, que fazem a revista pessoal de quem adentra ao recinto. Em média, cerca de 500 pessoas passam pelo local, que abre aos domingos de meio dia servindo almoço e oferece um baile para adultos no final do dia.
Veja abaixo o vídeo do circuito de segurança. Para ler a versão do empresário, basta clicar aqui.
Fonte: Jamerson Miléski
GC Noticias

Nenhum comentário:

Todos os recados postados neste mural são de inteira responsabilidade do autor, os recados que não estiverem de acordo com as normas de éticas serão vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros.

Tecnologia do Blogger.