Investigado pelo MP por morte em 1990, servidor da AL grava vídeo para provar que está vivo

Teste de Espaço de Anúncio
Investigado pelo MP por morte em 1990, servidor da AL grava vídeo para provar que está vivo
Foto: Rogério Florentino/OlharDireto
O secretário de Gestão de Pessoas da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), Elias Santos, publicou vídeo para provar que o servidor Luiz Cândido da Silva, de 66 anos, está vivo. Ministério Público Estadual (MPE) considera que Luiz faleceu  em 1990 e investiga quem recebia salário em seu nome.

Luiz Cândido da Silva atua como Técnico Legislativo de Nível Médio na Secretaria de Gestão de Pessoas da Assembleia Legislativa. Foi estabilizado, beneficiado com reenquadramento, progressão, elevação de classe e nível na carreira.

Em 2006, Luiz sofreu um AVC e se afastou do serviço. Por conta do acidente, conseguiu direito a se aposentar por invalidez. Por conta da demora do processo, adquiriu direito de se aposentar por tempo de serviço.

Para o MPE, entretanto, Luiz está morto desde 1990. O suposto recebimento ilegal de seu salário por terceiros foi objeto de Inquérito Civil Público, instaurado contra o servidor.

“Infelizmente houve um equívoco por parte do Ministério Público, que recebeu uma denúncia de que ele tinha falecido em 1990 e que continuava na folha de pagamento desta Casa. Realmente, ele continua na folha de pagamento, mas como servidor. Está aqui vivo e veio me visitar. Teve um AVC a aproximadamente quatro anos atrás e isso deixou algumas sequelas que não permite que ele desenvolva suas funções 100%”, explicou o secretário de Gestão Elias Santos, em vídeo.

Ao final do vídeo, Luiz Cândido da Silva arriscou algumas palavras frente às câmeras. "Estou vivo e forte, graças a Deus, tô aí né, pronto para a luta, com certeza!".




Nenhum comentário:

Todos os recados postados neste mural são de inteira responsabilidade do autor, os recados que não estiverem de acordo com as normas de éticas serão vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros.

Tecnologia do Blogger.