Justiça condena rede atacadista a pagar R$ 300 mil por xingar e humilhar funcionários

Teste de Espaço de Anúncio
(Foto: Ilustrativa)
A Justiça do Trabalho em Mato Grosso condenou um supermercado de rede atacadista a pagar R$ 300 mil por xingar, perseguir e humilhar os funcionários. O valor deve ser disponibilizado na forma de danos morais coletivos.
A decisão atende a uma ação proposta pelo Ministério Público do Trabalho (MPT-MT), ajuizada em 2017. À época, o órgão constatou que a empresa usava “modelo de gestão abusivo do poder diretivo patronal”.
Nos autos, segundo o MPT, há depoimentos de trabalhadores que relatam terem sido vítimas de violência verbal.
Um dos funcionários conta que foi chamado de incompetente e “burro”.
Outra trabalhadora contou que durante todo o contrato de trabalho foi perseguida e tratada com rispidez pela encarregada que, sempre aos gritos, a chamava de 'incompetente', 'burra' e 'preguiçosa'.
“Ao expor seus empregados a um meio ambiente de trabalho extremamente hostil e tenso, com recorrentes situações vexatória constrangedoras e humilhantes, o supermercado sonega a estes trabalhadores a dignidade como pessoa humana e a paz de espírito, instalando nos mesmos o medo, o pavor de adentrar no ambiente de trabalho”, diz trecho da ação do MPT.
Na decisão, a Justiça determinou que a empresa deixe praticar qualquer conduta de assédio moral, em especial ridicularização, inferiorização e desestabilização moral ou emocional dos trabalhadores.

Fonte: G1

Nenhum comentário:

Todos os recados postados neste mural são de inteira responsabilidade do autor, os recados que não estiverem de acordo com as normas de éticas serão vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros.

Tecnologia do Blogger.