Justiça autoriza que mães fiquem com bebês biológicos trocados no parto

Teste de Espaço de Anúncio

Saiu resultado do exame de DNA conclusivo e ele confirmou que dois bebês, agora aos 10 meses, meninos, foram trocados na maternidade do Hospital Regional de Alta Floresta, no Norte de Mato Grosso. Em audiência nesta terça (17), no Judiciário, os pais já ficaram autorizados a fazer a destroca. No entanto, mediante muito choro e nervosismo, o acordo feito foi o de que isso será gradativo, para as crianças não sofrerem.
Meninos saudáveis foram trocados na maternidade do Hospital Regional de Alta Floresta e criados até agora por mães "adotivas" e não biológicas “Eu particularmente me emocionei com esta situação”, narra o advogado Gérson Severo, que representa uma das mães, Erivânia Danfel. Segundo ele, na audiência, a cliente começou a chorar e pediu mais tempo, até que o menino criado por ela desmame.
Já Franciele Monteiro Garcia, que é a outra mãe, mostrou-se mais preparada para desfazer um erro o quanto antes, porém não colocou barreiras e também quis evitar o sofrimento dos meninos, ambos saudáveis e amados pelas duas mães e dois pais. "Amo os dois igualmente", afirma Francielli. No facebook, após a destroca, ela comentou. "Acabou de fazer a troca das crianças agora que meu coração vai parar de bater, meu Deus".
As duas mães, Francielli e Erivânia, se encontraram em um posto de saúde, meses após o nascimento, e Francielli se chocou quando viu o bebê da outra mãe. Afirma que é a cara do marido dela. Diz ter ir ao fundo da unidade de saúde, para tomar um vento e chorar. Foi quanto começou a angústia desta famílias de Alta Floresta, que fizeram um exame de DNA inicial, confirmando que cada bebê não era biológico das respectivas mães.
Neste segundo exame, que orientou a decisão judicial na audiência desta terça, o resultado é comprobatório da maternidade de cada uma delas. O caso teve repercussão nacional. Segundo o advogado Severo, agora é torcer, para que tudo dê certo, para que as crianças se adaptem.
O Hospital Regional de Alta Floresta não reconheceu o erro, mas abriu investigação para conferir as circunstâncias do nascimento dos meninos. O resultado da investigação não foi divulgado até o momento.
Fonte: Rd News

Nenhum comentário:

Todos os recados postados neste mural são de inteira responsabilidade do autor, os recados que não estiverem de acordo com as normas de éticas serão vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros.

Tecnologia do Blogger.