Estudantes desmaiam durante atividade do Exército em escola pública de Palmas

Teste de Espaço de Anúncio
Estudante desmaiou durante momento cívico  (Foto: Divulgação)
Estudante desmaiou durante momento cívico (Foto: Divulgação)
Segundo funcionário, alunos tiveram que ficar 1h30 parados, no calor. Unidade assumiu parceria com Exército e essa era a primeira vez que atividade era realizada na escola.
Pelo menos quatro estudantes desmaiaram na manhã desta sexta-feira (20), por volta das 9h, na Escola Municipal de Tempo Integral Caroline Campelo, em Palmas. Elas participavam de uma atividade realizada pelo Exército e teriam se sentido mal após ficarem uma hora e meia de pé e parados no calor. O evento contava com a presença do secretário da educação da capital, Danilo Melo e representantes do Exército, e não chegou a ser interrompido. Cerca de 20 alunos passaram mal.
Segundo um funcionário da unidade, que preferiu não se identificar, os alunos teriam ficado "em forma", sem poder se mexer, na quadra de esportes, para cumprir a solenidade. O local estaria quente. Além disso, alguns estudantes teriam ficado sob o sol. O evento não foi interrompido quando os alunos passaram mal.
Em setembro, a Prefeitura de Palmas assinou um Termo de Cooperação Técnica entre a escola e Associação de Amigos do Batalhão Tocantins (AABTO).
Segundo informações divulgadas pela prefeitura, a parceria terá a participação de oficiais da reserva, em conjunto com a direção da escola, para desenvolver atividades pedagógicas como culto aos símbolos nacionais, implantação de projetos e programas culturais, esportivos e musicais.
Essa era a primeira vez que o momento cívico era realizado. A atividade está prevista para acontecer três vezes na semana. As estudantes que desmaiaram foram socorridas pelo Corpo de Bombeiros e levadas para UPA Sul.
A Secretaria Municipal de Educação de Palmas (Semed), informa que as crianças da ETI Caroline Campelo, tiveram sintomas de mal-estar na manhã desta sexta-feira, 20. O Samu foi acionado imediatamente, os pais foram informados e as crianças já passam bem.

O 22º Batalhão de Infantaria informou que vai se manifestar por meio de nota, mas disse que a atividade não era do Exército e só acompanhava a atividade.

Estudantes precisaram ser socorridas  (Foto: Divulgação )

Estudantes precisaram ser socorridas (Foto: Divulgação )
Militares em escolas
Em setembro do ano passado, a prefeitura de Palmas já havia anunciado a parceria entre instituições de ensino de tempo integral e forças armadas: a Escola de Tempo Integral Caroline Campelo com o Exército, a Escola de Tempo Integral Anísio Spinola Teixeira com a Guarda Metropolitana, e a Escola de Tempo Integral Almirante Tamandaré com a Marinha.
Na época o secretário de educação disse que a ação não se tratava de uma militarização das escolas, e sim, do uso do civismo. “Trata-se de trazer para o ambiente da escola o exemplo do civismo, que as Forças Armadas do Brasil traduzem com o seu trabalho e compromisso constitucional”.
Segundo, a prefeitura, o projeto com a instituições militares teve início com o Corpo de Bombeiros, no Colégio Esportivo Militar do Corpo de Bombeiros Professora Margarida Lemos.

Estudantes participavam de momento cívico na quadra da escola  (Foto: Divulgação )
Estudantes participavam de momento cívico na quadra da escola (Foto: Divulgação )
Essa era a primeira vez que a atividade era realizada na escola (Foto: Divulgação )
Essa era a primeira vez que a atividade era realizada na escola (Foto: Divulgação )


Por G1 Tocantins

Nenhum comentário:

Todos os recados postados neste mural são de inteira responsabilidade do autor, os recados que não estiverem de acordo com as normas de éticas serão vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros.

Tecnologia do Blogger.