Esposa de maior traficante de drogas morto em Cuiabá é presa no Alphaville

YULLE CARLA
Yulli Carla foi presa em casa  Divulgação/ DRE

A mulher do traficante Enatel dos Santos Albanez, mais conhecido como Maninho, considerado o maior traficante de Cuiabá em 2015, assumiu o comando do tráfico de drogas após a morte do marido, em novembro daquele ano. Yulle Carla foi presa na manhã desta quarta-feira (4), durante a "Operação Campo Minado", deflagrada pela Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE), da Polícia Judiciária Civil, em Cuiabá. Ela estava em sua residência, no condomínio de luxo Alphaville Cuiabá.
De acordo com o titular da DRE, delegado Vitor Chab Domingues,  para chegar até a comandante do tráfico na região, os investigadores monitoraram as redes sociais de Yulle e descobriram que ela costumava ostentar nas redes sociais. Além disso, denúncias anônimas por meio do aplicativo de mensagens WhatsApp contribuíram para chegar até Yulle, que seria a principal fornecedora de drogas da quadrilha. Ela assumiu o comando do tráfico após a morte de Maninho.

"Ela estava no lugar dele, sucedendo o comércio da mercadoria ilícita de entorpecente. Estava substituindo o Maninho", afirmou o delegado Vitor Chab, ao HiperNotícias.

De acordo com o titular, na manhã de hoje a DRE prendeu cerca de 50 suspeitos, sendo oito prisões em flagrante delito e as restantes de prisões preventivas. Além disso, foram lavrados quatro termos circunstanciados de ocorrência e um boletim de ocorrência circunstanciado de tráfico por um adolescente. Segundo Chab, cinco pessoas ainda estão foragidas.

"A operação foi um sucesso total. Eu agradeço o comprometimento dos policiais civis da DRE, bem como de todas as unidades envolvidas na Operação. Foi uma área que nós estamos combatendo firmemente o tráfico doméstico de entorpecente, que mais aflige a sociedade, que é a denominada boca de fumo", finalizou o delegado.
Morte de maninho
 “Maninho” foi baleado em uma noite de domingo, no mês de novembro de 2015, numa tentativa de chacina no bairro. Ele chegou a ser levado a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do bairro Morada do Ouro, mas não resistiu aos ferimentos. Além dele, um homem conhecido como “Binha” morreu no local.

Outro amigo deles foi atingido por tiros, mas sobreviveu e está internado no pronto-socorro. Na delegacia, policiais civis identificaram que o comerciante tem passagem por roubo e pode estar envolvido em um assassinato.

Ele ainda teria ligações com o tráfico de drogas no bairro. A Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP) investiga as causas de sua morte.

De acordo com moradores do bairro, “Maninho” era uma pessoa querida no Pedregal. Ele ajudava a comunidade em eventos, ações sociais e até com um time de futebol da região. O velório e sepultamento dele, no cemitério Parque Bom Jesus de Cuiabá, reuniu centenas de pessoas.

Hiper Noticias 

Nenhum comentário:

Todos os recados postados neste mural são de inteira responsabilidade do autor, os recados que não estiverem de acordo com as normas de éticas serão vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros.

Tecnologia do Blogger.