Corpo de bebê de 6 meses é encontrado em pedreira; pais são suspeitos

Teste de Espaço de Anúncio
Foto da criança estava sendo compartilhada dizendo que bebê havia sido sequestrado (Foto: Reprodução/Facebook)
Corpo de bebê foi encontrado em uma pedreira em Itaperuçu, na região metropolitana de Curitiba
O corpo de um bebê de seis meses foi encontrado na tarde desta quinta-feira (26) e uma pedreira na cidade de Itaperuçu, na Região Metropolitana de Curitiba. O menino estava enterrado em um matagal e os pais foram presos suspeitos pelo assassinato.

Pai e mãe foram identificados pelo Serviço de Investigações de Crianças Desaparecidas (Sicride). Eles teriam matado o bebê e ocultado o cadáver.

Familiares vinham postando mensagens sobre o desaparecimento da criança desde o início do mês. "Este é Heitor Filipe, ele foi sequestrado. Se alguém viu ou ver esse bebê por favor entrar em contato", diz um post com a foto da criança no Facebook.

Segundo a delegada do Sicride, Iara Dechiche, o menino estava desaparecido há 25 dias, mas os pais não registraram queixa. A informação chegou ao Ministério Público do Estado por meio de uma denúncia anônima.

Os pais do bebê, Rafael Kuiava e Luzia Kuiava, acompanharam o resgate do corpo no local. Eles afirmam que a criança morreu em decorrência de um acidente doméstico durante o banho e que esconderam o corpo por medo.


O pai do pequeno Heitor, Rafael Kuiava, é foragido e já foi condenado pelos crimes de furto e assalto. Ele disse que o casal não procurou a polícia por causa da situação dele.

O corpo foi enterrado em uma área de mata, numa pedreira na cidade de Itaperuçu, RMC. (Foto: Dionei Santos/RICTV Curitiba)

Delegada deu detalhes do crime

A delegada do Sicride, Iara Dechiche, conversou com jornalistas na tarde desta quinta-feira (26), e disse que o casal parece ser muito frio e não ter conexão emocional nenhuma com o bebê. Segundo a delegada, a mãe de Heitor contou que estava dando banho no bebê e ele se afogou. "Ela diz que conseguiu reanimar o menino e colocou ele para dormir, mas que depois de um tempo foi olhar e ele estava morto. No dia seguinte o casal enrolou o corpo num cobertorzinho e saiu de casa para decidir o que fazer com ele", relatou a delegada.

Ainda de acordo com a responsável pelo caso, o casal se mudou de Itaperuçu para Almirante Tamandaré, também na Região Metropolitana de Curitiba. "Os vozinhos começaram a questionar muito sobre o sumiço do bebê e eles se mudaram. Em Almirante Tamandaré ela chegou a procurar a delegacia para registrar um boletim de ocorrência de sequestro, mas passou mal e foi para o hospital antes do boletim ser concluído. Lá no hospital ela fugiu e nunca mais voltou à Polícia", completou.

A delegada afirma que para o Sicride, o caso está encerrado, uma vez que a criança desaparecida foi localizada. Agora, a delegacia de Rio Branco do Sul vai investigar como a criança morreu e a participação dos pais na morte. "Eles podem responder por homicídio e ocultação de cadáver, junto com outros agravantes que venham a surgir ao longo das investigações", conluiu.

O Insituto Médico Legal (IML) de Curitiba recolheu o corpo, que vai passar por exames para determinar a causa da morte.

*Com informações do repórter Lúcio André, da RICTV Curitiba

Nenhum comentário:

Todos os recados postados neste mural são de inteira responsabilidade do autor, os recados que não estiverem de acordo com as normas de éticas serão vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros.

Tecnologia do Blogger.