Transportadores ameaçam suspender fretes no Vale do Araguaia após saques e pedágios de índios

Teste de Espaço de Anúncio
Foto: Divulgação
Os transportadores reclamam de abusos de índios que cobram pedágios e saqueiam as cargas. Na última ocorrência e com brutal atitude, um ônibus foi parado e seus passageiros obrigados a pagar pedágio.
O Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas do Estado de Mato Grosso (Sindmat) aponta que empresas já se recusam a aceitar fretes destinados ao Vale do Araguaia. Os transportadores reclamam de abusos de índios que cobram pedágios e saqueiam as cargas. Na última ocorrência e com brutal atitude, um ônibus foi parado e seus passageiros obrigados a pagar pedágio.

Os motoristas se sentem ameaçados pelos índios. "A Funai, Polícia Federal e o Ministério Público Federal precisam fazer alguma coisa. O MPF já recebeu  nossas denúncias. É uma situação humilhante e desesperadora que inibe o setor", destaca o presidente do Sindmat, Eleus Vieira de Amorim.

"Muitas são as reservas em que há estradas regionais que as transpõe, sendo exemplo em Mato Grosso, a Reserva Utiariti, onde há a passagem da MT-235 e há a cobrança de pedágio pelas Associações Halitinã e Waymaré, fato este que se estende por vários anos, causando verdadeira repulsa na cidade organizada, que paga os altíssimos impostos e verdadeiramente gera a riqueza de nosso país", destaca a representação do Sindmat.

"Eles trancam rodovias, ameaçam motoristas, cobram pedágios, saqueiam cargas e ninguém faz nada", desabafa outro transportador que prefere não se identificar para não sofrer represálias.

A entidade entende que existe o crime de prevaricação por parte das autoridades. "A prevaricação é latente, uma vez que os representantes do governo federal e estadual têm ciência destes bloqueios para cobrança de "pedágio" e deixam de praticar o ato liberatório das rodovias de ofício, sendo necessário que entidades de classe venham a público exigir medidas dos órgãos governamentais. Quando "tomam ciência" dos fatos retardam qualquer tipo de medida, pois ninguém quer atrito com índios. É como se estes fossem semideuses na terra", disse o advogado do sindicato, Roni Barbosa.


Fonte: Assessoria/Sindmat

Nenhum comentário:

Todos os recados postados neste mural são de inteira responsabilidade do autor, os recados que não estiverem de acordo com as normas de éticas serão vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros.

Tecnologia do Blogger.