PF cumpre mandado em prefeitura de MT por propina a cacique para extração ilegal em área indígena

Teste de Espaço de Anúncio
Foto: Reprodução/Facebook Ex-prefeita de General Carneiro, Magali Amorim Vilela (PSD), foi conduzida coercitivamente para a delegacia da PF em Barra do Garças
Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão na Prefeitura de General Carneiro, a 449 km de Cuiabá, e na residência da ex-prefeita do município, Magali Amorim Vilela (PSD), nesta quinta-feira (25). A operação visa combater uma organização criminosa que teria extraído madeira ilegalmente da Aldeia Cabeceira da Pedra, localizada na Terra Indígena Sangradouro, naquele município, e seria responsável pelo desvio de verba pública em General Carneiro.

A extração ilegal na terra indígena teria sido liberada por um cacique da aldeia, mediante pagamento de propina. A madeira seria utilizada para reformar e construir pontes em General Carneiro, segundo a polícia.

O G1 tentou, mas não conseguiu contato com a ex-prefeita. Por meio de nota, a Prefeitura de General Carneiro afirmou que a operação não tem ligação com a atual gestão, que os documentos apreendidos remetem ao ano de 2015 e que está colaborando com as investigações.

Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos, ainda, nas residências de um empresário e do ex-secretário do Obras do município e na sede de uma construtora. Foram apreendidos documentos, mídias digitais (computadores, CDs, DVDs, HDs e pen drives) e celulares.


Os mandados foram expedidos pela Justiça Federal de Barra do Garças, a 516 km de Cuiabá, após pedido do delegado Rafael Valadares. Tanto a ex-prefeita como os ex-secretários, o empresário e o cacique da aldeia foram conduzidos coercitivamente até à Delegacia da Polícia Federal em Barra do Garças. Segundo a PF, todos foram liberados após prestarem depoimento.

Fonte: G1 MT 

Nenhum comentário:

Todos os recados postados neste mural são de inteira responsabilidade do autor, os recados que não estiverem de acordo com as normas de éticas serão vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros.

Tecnologia do Blogger.